29.12.05

... Três, dois, um: puf!

É o fim.

Festa de fim de ano dentro de casa anuncia o fim tempos, parece. Fim da paciência que nos esgotamos de treinar durante 12 meses, fim da esperança de não ver a prima velha das lentilhas voadoras, fim da vida curta da toalha que a mãe escondeu a vida toda dos nossos lanches da tarde. Tem fim pra tudo.

Mas tem começo também. É o sapateado das tias gordas pela cozinha: se esbarram, se pisam, se xingam. Fingem que estão ali para reparar a disposição dos pratos na mesa enquanto a gente... A gente finge que não as repara. Tremoço pra dentro, é o que resta.

"Ah, Fulaninho e Ciclana Beltrana foram pra Paulista ver a virada", berrou o Tio. Não pude mais pensar em outra coisa por várias horas, somente no acontecimento que deve ser assistir à virada na Paulista. Tanta coisa lá vira... E minha mente pobre ia enumerando invejosa... Viram-se latas, garrafas, garrafões e até barris de pura etilicidade goela adentro, é um "tsc ahhhhhh" e gargalhadas borbulham, não champagnes. Tem virada de pescoço pra abundância daquela gostosinha que passa... Olha lá, vem agora a virada de mão na cara do sujeito que ousou destacar a buchechuda na multidão! Eia, virou uma bola de gente se batendo... Tem quem não se propõem a acompanhar essa banda e vai virando a esquina da Haddock, ali sim tem um pega que vira de verdade, é, lá tem, vira o zóio. Tem o CNS ali que não gosta de ver os virados, melhor, os viados, reclama da indecência deles, "tão me virando a bunda", diz aos CNSs amigos. Mas é a noite da virada, porra, aguenta e se vira! Vai, exercício pro carnaval, data eleita pra virar o que quiser sem culpa... Mas com dor, né, quem vira sempre toma. E o que vira aquela avenida com tanta gente virada? É a redenção! Dia seguinte é só virar a cara e tá tudo bem, vai.

Tanta coisa virou em 2005 que virada no estômago por causa de festividades é pouca bucha. E na hora a gente se vira pra oferecer um belo novo ano, como sempre. Dali em diante, são muitos fogos, dentes, braços se emaranhando... A gente vira gente.


5 comentários:

Tata disse...

MUITO, MUITO LEGAL!! GOSTEI E DEI MUITA RISADA.
BEIJÃO E FELIZ ANO NOVO!!!

Gi disse...

Adorei! Feliz Ano novo!!! rs com emaranhado de gente em nossas vidas e sonhos, muitos sonhos realizados!!!
Concordo com o comentário que vc deixou, a arte une as pessoas e mostram que de repente elas nem são tão diferentes assim!
beijos!
Gi

Gi disse...

ops, MOSTRA.

Lagarta do Agreste disse...

wow, que texto muito bom! cheguei através do link do Branco e vou voltar sempre! bacana, bacana.

L.S. Alves disse...

E depois do caranaval voltamos todos ao normal.