18.9.07

Ciúme e limbo

Penso desse jeito simples desesperado. Se me importo? Médio. Resolvia encontrar o rei de tua Pasárgada e, com a sofisticada perversidade das pontas desses meus dedos magros, extrair-lhe os bagos, com pele e vasos, para então calmamente depositá-los no intestino da mulher que ora desejas querer. E tudo na cama que escolherás.

Vê agora em quem se instalou o teu mal?


3 comentários:

L.S. Alves disse...

Obrigado por ter sido o primeiro a ser avisado. Aproveito e agradeço sendo o primeiro a comentar.
Seja bem vinda. Você fez falta por aqui.
Se não for pedir demais manda o teu e-mail pra mim. Para que eu não tenha mais dúvidas se você ainda está entre nós.
Beijos e novamente seja bem vinda.

Rafael Velasquez disse...

hum... Pequena malvada!!! Mas assim é bom...

...bom de mais.



beijo.

inutilia sapiens disse...

oi moça, agradeço a música, boa música!
ao ler o teu lembrei-me do meu...
deixo-te um sorriso, um beijo e um escrito...
A noite como uma vasta conspiração para sonhar,
Talvez sonhar não seja a solução!
Mais um dia de tragédia, descrença e tristeza;
Levando estes escassos farrapos
Para casa todas as noites
Levando-as a teus pés,
Espero que não me aches desagradável,
Leve-me para a cama,
Embriaga-me


e como são belos...
as fotos, os escritos e teu espaço.
beijos