24.11.06

Dulcis

Porque a boca em mim se abriu
Como Bocage grave me saiu
A berrar meu mundo-humor de cão
Mandando à merda a boa educação
Tirar da pena um poema não bonito
Mas esmurrado, roto e fodido
De cada duas rimas pobres em páreo
Rumando todas para a casa do caralho.

3 comentários:

Tiago disse...

sensacionais linhas, Su. e outra: seu comentário lá no Céu matou a pau. eu não tinha pensado nisso. beijo.

disse...

Sensacional... a sua cara.

Anônimo disse...

Querida, só não entendo o que você viu no Drummond. Beijo