8.3.07

Assumo

Te ver em desgraça com a minha presença é de derreter os sentidos e a razão. Pelo ralo os discursos ensaiados, o som do ambiente, a temperatura, o gosto de vinho na boca, o cheiro de vela e suor nas tramas da rede, a ânsia do encontro, tudo pinga e escorre. Baixo devagarzinho e palmo as poças na intenção de reabsorver algum mililitro de alma do chão, quando você vem e me pisa com a mesma força desses olhos apertados que eu amava beijar. E me deixo ficar no abandono, na sua sola, tapete e capacho, porque ainda assim você me desfila.

8 comentários:

marcelo disse...

Isaaaaaaaaaaaaaah que delicia de poema-texto-poesia moderna!

“Eu ví a mulher preparando outra pessoa(...) e o tempo parou para eu olhar para aquela barriga...” (Caetano Veloso) Desejo a você Feliz dia da Mulher e felizes todos os dias de sua vida. Caixa de bombons, flores e boa cama!

Fiz uma mensagem tipo spam e estou pondo em todos os blogs que freqüento cujas redatoras são mulheres com respeito e admiração bjs!!!!

Giovana disse...

Nossa!!!

Ruberto disse...

O que posso dizer??
Lindo, estupendo, maravilhoso, unico....esse seu texto.....
Uma poesia gritante e aclamante...
E sem duvida, Feliz dia de voces mulheres....
Beijossss!!!
PS: obrigado pela comparação com o mestre Machado, mas tenho muito caminho para chegar na sombra dele....rss

Jana disse...

Intenso isso! Meu deus, muitas sensações nesse post.

Beijos

L.S. Alves disse...

Gostei desse. Ficou bastante clara a cena. Bem explícito. Gostei.

Anônimo disse...

Sua poesia, seu estilo literário sempre me lembrou muito a poesia potuguesa, Su...
Estarei eu delirando ou tens a alma com os pés além-mar?

Girassol disse...

Obrigado pela visita e pelas palavras. A porta está aberta, é para entrar mesmo sem pedir licença, e nem é necessário limpar os pés. =)
Também voltarei mais vezes.

Beijos.

Jane Malaquias disse...

Você é lavável?